Notícias

Cientistas pedem reativação da Frente Parlamentar em Defesa das Instituições Públicas de Ensino, Pesquisa e Extensão

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Será reativada, na Assembleia Legislativa, a Frente Parlamentar em Defesa das Instituições Públicas de Ensino, Pesquisa e Extensão. O órgão era presidido pela então deputada Beth Sahão (PT), que perdeu o mandato em agosto de 2020 por decisão da Justiça Eleitoral.

O pedido para que o vice-coordenador da frente, Carlos Giannazi (PSOL), reconvoque as entidades participantes surgiu durante a Audiência Pública em Defesa da Pesquisa Científica, realizada em 3/5, em ambiente virtual, por iniciativa do próprio deputado.

“O corte de recursos orçamentários vem acontecendo no governo federal, com os ataques às universidades e a redução das bolsas da Capes, mas também aqui em nosso Estado. Em São Paulo tivemos o PL 529 (transformado na Lei 17.293/2020), que desmontou os institutos de pesquisa (Florestal, Geológico e de Botânica) e pretendia trazer ainda mais maldades, que, com muita luta, conseguimos impedir”, lembrou Giannazi, pontuando que Doria tentou sequestrar o superávit orçamentário das universidades e dar um rombo de R$ 454 milhões na Fapesp, retirando 30% de seu orçamento com a aplicação da Drem (Desvinculação da Receita Orçamentária de Estados e Municípios).

Para além da questão orçamentária, o professor da Unicamp Paulo César Centoducatte chamou a atenção para o processo de privatização dos institutos de pesquisa, o que inclui a apropriação de todo o conhecimento gerado.

Participaram da live Nasser Ali Daghastanli, da UFABC; João Paulo Teixeira, da Associação dos Pesquisadores Científicos; Marcos Rosa, do Coletivo de Bolsas Fapesp; Fernando Ribeiro, pós-doutorando da Fapesp; Emerson Inácio, professor da USP; o vereador Celso Giannazi (PSOL); e a pedagoga Luciene Cavalcante.

Deixe seu comentário sobre o assunto

Veja outras notícias do mandato