Aprova Já!

Servidores aposentados pedem revogação de decreto do governador

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Em ato solene virtual promovido pelo deputado Carlos Giannazi (PSOL), na sexta-feira (30/4), servidores públicos aposentados pediram anulação de decreto do Executivo, que institui descontos adicionais nas aposentadorias e pensões de servidores estaduais que recebem a partir de um salário mínimo nacional até o teto do Regime Geral de Previdência Social (RGPS).

Deise Carravieri, coordenadora do movimento Aposentados em Ação (Apoema), lamentou a atual situação financeira na qual vivem os servidores aposentados. De acordo com ela, o valor descontado na aposentadoria faz falta no cotidiano de quem recebe. “O que está acontecendo conosco é uma situação inesperada que, nós, como aposentados, jamais imaginávamos passar.”

Giannazi, autor do Projeto de Decreto Legislativo 22/2020, que susta as ações do Decreto 65.021/20 de autoria do governador, demonstrou indignação referente à atitude do executivo. “É uma penalização imensa para os aposentados e pensionistas, o prejuízo é muito grande. Tenho acompanhado o drama, a dificuldade de compra de remédios, de realizar tratamentos, de alimentação, sobrevivência, porque a retirada de 300 ou 400 reais num momento como esse, de pandemia, não é fácil”. De acordo com o parlamentar, é necessário que haja mobilização por parte dos servidores para que a proposta seja aprovada.

O deputado Major Mecca (PSL), demonstrou apoio à causa: “Essa medida adotada pelo governador João Doria foi injusta, um desrespeito à dignidade de todos vocês aposentados e pensionistas, e a Casa legislativa é a ferramenta que vocês têm pra que nós possamos dar um basta nessa postura do governo do Estado”, disse.

Ele afirmou que, dentre os parlamentares com quem teve contato na Alesp, não há quem se contraponha à luta dos aposentados contra o decreto do Executivo. “A nossa unidade de esforços para levar o PDL 22 ao plenário para votação é bastante intensa, mas nós precisamos aumentar essa intensidade, creio eu, na cobrança ao presidente da Assembleia Legislativa”, ressaltou.

Deixe seu comentário sobre o assunto

Veja outras notícias do mandato