Notícias

Apoio à campanha salarial dos servidores da Fundação Casa

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Carlos Giannazi (PSOL) está fazendo gestões junto à Secretaria da Justiça e Cidadania para que o secretário Fernando José da Costa, que acumula o cargo de presidente da Fundação Casa, receba os representantes dos trabalhadores e abra negociações salariais. “Os servidores da Fundação Casa estão há muito tempo com salários arrochados e defasados. Além disso eles não têm um plano de carreira que garanta sua evolução funcional”, afirmou.

Recentemente, a categoria foi surpreendida com medidas que, na prática, equivalem a uma redução de salário. “Em plena pandemia, o presidente da Fundação Casa diminuiu o valor do vale-alimentação, que já era baixo. Além disso está aumentando o desconto em folha referente ao plano de saúde. Os servidores estão sendo atacados em sua dignidade e em seus direitos.”

Giannazi destacou, ainda, a questão da Covid, que vem sendo negligenciada pela instituição. Segundo levantamento divulgado pelo Conselho Nacional de Justiça em 5/5, o sistema socioeducativo paulista teve 31 mortes por Covid-19 e um total de 1.734 servidores contagiados. “O Estado ou não fornece os EPIs ou o faz de forma insuficiente. Isso aumenta o risco de contágio tanto para os trabalhadores quanto para os adolescentes e jovens inseridos no sistema”, explicou.

Conforme o Sindicato da Socioeducação de São Paulo (Sitsesp), houve ainda muitos casos em que a instituição impediu os trabalhadores infectados de realizarem a Comunicação de Acidente de Trabalho (CAT), pois exigiam prova de que a contaminação acontecera no ambiente de trabalho.

Deixe seu comentário sobre o assunto

Veja outras notícias do mandato