Secretaria protela posse de agentes de organização escolar

12 de abril de 2019

Nem mesmo após a tragédia na escola Raul Brasil, em Suzano, que escancarou a situação da falta de servidores nas unidades da rede estadual, a Secretaria da Educação dá sinais de que vá empossar os 1.493 agentes de organização escolar já aprovados em concurso público. Por esse motivo, diversos representantes da categoria, ativos ou aguardando o termo de posse, reuniram-se na Alesp na terça-feira (9/4), em audiência pública presidida pelo deputado Carlos Giannazi.

 

“Reafirmo que o governo do estado tem muita responsabilidade em relação ao episódio de Suzano, porque, além de não contratar funcionários do quadro de apoio, está extinguindo o Escola da Família, um programa de integração da escola com a comunidade que ajuda a combater a violência”, afirmou o parlamentar, ressaltando que o déficit é de 11 mil agentes de organização. “Nas quase cinco mil escolas do estado, é praticamente impossível encontrarmos uma que tenha o módulo de servidores completo.”

 

Outro tema abordado foi a subvalorização da categoria, cuja remuneração inicial, de R$ 971, tem de ser complementada com um abono para alcançar o salário mínimo regional, de R$ 1.163. Essa situação anula o recém-implementado plano de carreira, já que as progressões e promoções ocorridas nos primeiros cinco anos de serviço são acompanhadas de cortes no abono.