Nota de Esclarecimento

 

Nota de Esclarecimento
Mandato do Deputado Estadual Carlos Giannazi
São Paulo 14/11/2018

 

Na noite de terça-feira (13/11), agitadores do movimento a favor do “Escola Sem Partido”, comandados pelo deputado estadual eleito, Douglas Garcia (do PSL de Bolsonaro e do Movimento “Direita SP”), provocaram um grande tumulto para inviabilizar e impedir a Audiência Pública realizada pelo Professor Carlos Giannazi nas dependências da Assembleia Legislativa.

A tática usada foi a mesma que eles pretendem implantar contra as professoras e professores nas escolas, ou seja, a INTIMIDAÇÃO!! Assim que Giannazi anunciou que a mesa de debates seria rotativa, com revezamento de seus membros e que todos teriam espaço garantido para fazer suas intervenções, Douglas Garcia iniciou um vídeo ao vivo em uma de suas redes sociais, posicionando-se em frente à mesa e gritando, com o claro intuito de intimidar e impedir o início do ato.

Neste momento a turba que o acompanhava se dirigiu até a mesa, muitos também gravando com o celular. A abordagem foi tão agressiva que a Polícia Militar teve que fazer um cordão de isolamento para proteger os membros da mesa (compostas por professores Universitários e juristas membros do Ministério Público e da Defensoria Pública), porque Douglas Garcia e seus asseclas mantiveram aproximação física provocativa, inclusive agredindo Giannazi com xingamentos e palavras de baixo calão. Em apoio a Giannazi e à mesa, a plateia, composta por cerca de 500 pessoas e que tudo testemunhou, começou a gritar “fora fascistas” em coro.

Após longos minutos sendo agredido e ameaçado verbalmente e com vários celulares quase tocando seu rosto, Giannazi interveio contra a postura autoritária, agressiva, antidemocrática, indecorosa e fascista dos baderneiros! Usaram a tática do tumulto e das filmagens com celulares para intimidar e censurar a audiência e o professor Carlos Giannazi, mesma tática que estão defendendo que seja feita com os professores em sala de aula.

Em nenhum momento houve qualquer agressão por parte de Giannazi, tanto é verdade, que a Polícia Militar e os juristas que estavam ao lado, trataram de defendê-lo contra os tumultuadores. Douglas Garcia e seus comparsas vieram à Audiência Pública com tudo planejado para inviabilizá-la e criar um fato político para se auto promoverem nas redes sociais!

Após o tumulto, Douglas Garcia e o grupo que o acompanhava, se retiraram e a Audiência Pública transcorreu democrática e pacificamente, inclusive com a intervenção e participação de apoiadores do “Escola Sem Partido”, como o ex-candidato ao governo de São Paulo, Major Costa e Silva (DC) e a deputada estadual eleita, Valéria Bolsonaro, que esteve presente e deu seu depoimento à TV Alesp.

Diante do ocorrido, Giannazi vai abrir boletim de ocorrência contra as calúnias que estão sendo difundidas e irá relatar a Contravenção Penal cometida pelos agitadores, segundo o artigo 40 da LCP, que dispõe ser contravenção “provocar tumulto ou portar-se de modo inconveniente ou desrespeitoso, em solenidade ou ato oficial, em assembleia ou ato público”, com pena de prisão!
Graças ao ódio incitado por Douglas Garcia e seus comparsas, Giannazi passou a sofrer ameaças pelas redes sociais e talvez precise de proteção policial. Mas NÃO sucumbiremos ao clima de ódio e intimidação que os fascistas querem promover nas escolas e no país. Não aceitaremos calados!

 

Reagiremos e resistiremos sim!!!!
Não nos intimidarão!!