Apoio ao professor Dimitri Aurélio Silveira

 

Carlos Giannazi denunciou em Plená­rio, no dia 18/5, o processo de perseguição que está sendo praticado pela Secretaria da Educação contra o professor Dimitri Aurélio Silveira, da Escola Estadual Raul Fonseca, vinculada à Diretoria de Ensino Centro Sul. “Dimitri é um militante da educação, um professor que participa de todas as atividades em defesa da educação pública de qualidade, em defesa do magistério e em defesa de uma cidadania ativa e crítica”. O deputado explicou que o professor está sendo exonerado da rede estadual por meio de avaliações negativas de seu estágio probatório, com critérios altamente subjetivos. Entretanto, verdadeiro motivo de seu desligamento é político. Dimitri, que é também concursado da rede municipal de São Paulo, participou das greves da Apeoesp e apoiou as ocupações dos alunos em 2015. “Ele é um professor crítico, que tem um importante trabalho pedagógico em defesa de uma educação liberta­dora, libertária e emancipadora. Uma educação que leve o aluno a conhecer os seus direitos e a exercer plenamente sua cidadania”. Segundo Giannazi, o mecanismo do estágio probatório é muito utilizado para intimidar professores, que são orientados a não participar de nenhum movimento, sob pena de serem exonerados. “Essas ameaças também são feitas aos docentes que não são efetivos, sobretudo os professores categoria O e categoria V.